The Shattering World

S10 -

    Permanecemos na vila orc organizando as pessoas para retornar a Estergras. Muitas pessoas estão feridas ou debilitadas pelo longo tempo aprisionadas. Jason e Sigrid estão fazendo guarda e ele escuta um barulho vindo da floresta. Os dois espreitam para descobrir o que está acontecendo e ao longe vêem um vulto grande, com braços alongados e finos, em combate com um grupo de criaturas. Chegando mais perto percebem que que a tal criatura luta com um grupo de orcs, que nitidamente esta perdendo. Jason e Sigrid permanecem escondidos observando mas um orc corre na direção em que estão, chamando a atenção da criatura para a presença deles. 
    Os dois tentam combater o troll mas quando Jason cai Sigrid o carrega de volta para o acampamento buscando abrigo e ajuda. A criatura os segue e já ataca Berac, que escutou os gritos de Sigrid, com um javling. Ao se aproximar mais do acampamento o troll pára de repente e retorna para a floresta.
    Hidron ajuda na cura dos feridos e termina de restabelecer os cidadãos que estavam aprisionados, preparando todos para o retorno a Estergras (o quanto antes, considerando que aquele local não é seguro). 
    Agora que estão todos reunidos e mais calmos, o clérigo começa contar sua história e como veio parar nessa região. Explica que já havia encontrado a sacerdotisa drow no underdark e que sabia que ela utilizava as pedras negras para abrir passagens do underdark para a superfície. Sigrid conta para ele que seguia sua missão como paladina de Hira enfrentando minotauros e impedindo que eles se multiplicassem, mas que naquela região houve uma mudança no comportamento dos minotauros, que passaram a agir de forma coordenada. Disse que desde seu encontro com Siv e Jason eles vem descobrindo outras questões envolvidas com essa mudança de comportamento, inclusive que os minotauros também estão interessados nessas pedras negras. Hidron comenta que essas pedras canalizam energia psiônica.
    Jason revela que há muito tempo acredita que os minotauros, assim como o povo da Siv, está sendo comandado pelo povo de prata (os que subjugaram o pai de Siv), por meio de controle mental. Explica que assim como os minotauros, os bárbaros passaram por uma mudança de comportamento, passando a agir de forma coordenada, com ataques planejados. Ele lembra que o pai da Siv,que sempre foi um guerreiro respeitado e de valor, foi subjugado e morto de maneira incomum. Comentou também que ouviu um mago afirmar que os bárbaros eram forçados a obedecer alguém que utilizava técnicas mentais não tão conhecidas pelo povo da região. (AGORA ELE RESOLVE FALAR ISSO, SÓ AGORA!!).
    Jason conta para Hidron sobre o artefato que esta buscando, que foi levado por Horden para o Imortal que mora no círculo ártico. Ele vai contando sua história, como encontrou com Siv e Sigrid e comenta sobre uma pessoa que encontrou e comentou que o tempo estava destruindo sua cidade, que o solo estava se abrindo e dessa fenda saia uma luz violeta intensa. Automaticamente o Hidron reconhece essa luz como as que viu no underdark.
    Siv relembra o sonho que teve, que mostra os minotauros trabalhando em um labirinto subterrâneo e aponta uma relação com as pedras. Ela fala que ainda sente a reverberação do toque da pedra em sua espada (que ficou marcada) e o sonho se repete. Às vezes ela acredita que a água poderia isolar essa reverberação. Sigrid comenta a sensação de vazio que ainda sente também após tocar a o símbolo entalhado no totem dentro do navio. Nessa conversa percebemos a interligação entre os acontecimentos que cada um passou até aqui.
    Enquanto ainda estão no acampamento se preparando, um pequeno grupo de orcs se aproxima, mas não para um ataque. Eles estão acompanhados por um orc mais velho, parecido com o homem pássaro (druida) que Jason já havia encontrado. Ele está acompanhado pelo orc que fugiu do ataque do troll. O druida orc agradece por termos ajudado e garante que o pessoal da vila não será atacado por orcs. Também mostra que no caminho para Estergras iremos ser interceptados e atacados.
    Ele aponta para o manto de pantera que Jason usa e depois de um tempo conseguimos entender que seremos atacados por criaturas semelhantes àquela pantera, “nascidas” das sombras. O druida orc aponta para a torre da drow, indicando que ainda tem criaturas saindo do underdark. Hidron utiliza a wand da sacerdotisa para selar essa passagem, lacrando os túneis que passavam por baixo da torre.
Jason lembra que sua cimitarra ficou caída na floresta após o encontro com o troll e explica que se trata de uma arma mágica que ganhou para enfrentar a pantera. Retornamos mas a arma não esta mais lá. Jason consegue rastrear uma trilha deixada pelo troll que levou a cimitarra. Seguimos esse rastro mantendo o ritmo de forma que encontraríamos o troll no início da noite. Entretanto quando paramos para acender tochas e reencontrar o rastro (o orc druida explicou que o troll tinha fugido antes por causa da fogueira acesa na vila) fomos surpreendidos pela criatura. Mesmo num grupo maior, o combate com o troll é complicado (considerando a mão assassina do mestre que só dava crítico em contraposição à mão dos players, que tinham que ficar contando miséria para conseguir um ataque) e gasta muitos dos nossos recursos. Após finalmente derrotá-lo, seguimos ao encontro do pessoal de Estergras para seguirmos viagem. 
Seguindo a trilha para encontrar o acampamento no qual as pessoas estavam, Jason ouve um barulho e ele prontamente identifica que é o rugido dos ursos, que parecem estar bem feridos. Imediatamente ele segue para a origem do som, afinal ele tem um compromisso em ajudar os animais. Quando o grupo chega a clareira de onde vem o barulho, vemos um grupo de orcs cercando um buraco e ao fundo uma figura humanóide, muito franzina e pálida, que parece comandar o grupo. No que nos aproximamos para entender a situação, Gurinitizvan, o gnomo resgatado do underdark que estava junto grupo, ataca Hidron com uma adaga. Chocados observamos ele assumir outra forma, indicando que não era um gnomo mas sim um outro tipo de criatura do underdark, um doppelganger.
    O líder franzino articula as mãos, como fazendo um encantamento, e o buraco se enche de fogo e de lá saem os dois ursos gigantes em chamas (undeads) em nossa direção. 
    Os ataques contra o doppelganger são difíceis de acertar, mas quando é atingido por Sigrid ele rapidamente desaparece para se restabelecer. Hidron utiliza sua fé para banir os ursos e percebe que de alguma forma o líder desse grupo é atingido por aquela luz clerical. No segundo ataque que o clérigo faz essa criatura grita, revelando ser um vampiro, e naquele momento vira fumaça e foge. Os ursos também são banidos.
    Hidron percebe que 2 de seus potes de cura sumiram, provavelmente levados pelo doppelganger. Decidimos uma palavra chave para que possamos nos identificar de forma que o doppelganger não possa nos pegar desprevenidos novamente. (Parangarito) Quando chegamos em Estergras, Hidron busca rapidamente o outro gnomo resgatado para descobrir se ele também é um doppelganger. Após algum tempo de interrogatório ele percebe que o gnomo realmente era prisioneiro e que, como estava sendo envenenado aos poucos, não conseguiu perceber que o outro ali não era um prisioneiro e sim uma das criaturas do underdark que protegia a drow. O falso gnomo veio acompanhando o grupo, passando informações sobre os passos e decisões que tomamos. Foi ele que seguiu o Josué para dentro da torre e o executou :(
Hidron segue manipulando as pedras negras e trocando informações com o restante do grupo sobre o que sabemos sobre ela. Estamos discutindo sobre levar ou não as pedras conosco quando formos atacar os minotauros. Tentando encontrar a relação entre os eventos percebemos que as pedras de certa forma se encaixam e, de fato, das quatro pedras em nosso poder 3 se encaixam perfeitamente. Evra se aproxima e começa a manipular as pedras reunidas e Jason percebe que em alguns momentos parece que o artefato flutua nas mãos dela. A monk de repente larga o artefato abruptamente, dizendo que ela comandou as pedras para que parassem de vibrar e elas não pararam.
    Decidimos que as pedras fiquem em Estergras, repousando em água de modo que sua vibração fique contida.

Comments

LucasTheSword manuskela

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.